domingo, abril 12, 2009

Esparta!


Eis a verdade, senhores: as heróicas batalhas nem sempre culminam em vitórias.
A injustiça é protagonista, quando se conta a história de Leônidas, general espartano, que defendeu a Grécia do ataque persa em tempos antes de Cristo.
Uma horda de 200.000 soldados prontos a seguirem as ordens de Xerxes tentavam invadir sem êxito a entrada do desfiladeiro das Termópilas, sendo que apenas 7000 homens, 300 espartanos, eram responsáveis pela proeza, que outros tantos exércitos sucumbiriam em instantes. No entanto, após a traição de Efialtes, o panorama mudaria da água para o sangue. Cercados, os 300 espartanos decidiram resistir até a morte, e assim o fizeram de maneira mitológica.

Mesmo com a vitória persiana no desfiladeiro, o mito de Leônidas foi propagado até os dias de hoje, sendo um exemplo de fidelidade e coragem.
A batalha começou pouco antes do apito inicial, no instante em que os fiéis tricolores, acostumados a enfrentar exércitos de expressão numérica devastadora, decidiram lutar as sombras, assim como Leônidas fizera ao ser questionado por Xerxes.

Xerxes: "Minhas flechas serão tão numerosas que obscurecerão a luz do Sol".
Leónidas: "Tanto melhor, combateremos à sombra!"

A entrada dos guerreiros de branco fez o Maracanã sumir em meio a uma névoa abençoada. Aos poucos, o tradicional pó de arroz foi sendo dissipado pela brisa, dando lugar a algo minimamente sobrenatural. Uma barreira inexpugnável foi extendida em verde, branco e grená. Abaixo dela, não torcedores, mas soldados.

Boquiaberto, o inimigo calou-se por segundos diante de tal escudo tricolor.
O brado forte e o mosaico das três cores nunca mais seriam esquecidos, assim como sentimento de amor transbordado por aquela gente.

O score final pouco importa. O que aconteceu já virou na história, e das boas.
Inovação? Mais uma para o Maracanã e todos os outros povos baterem palmas.
Retornando ao mito, os persas esperaram, durante dois meses, o inverno passar, para continuar a guerra. Quando resolveram voltar, os espartanos restantes formaram o corpo principal do exército grego. Havia três persas para cada grego, e no final da guerra os persas foram derrotados e expulsos da Grécia.

Nada termina antes do fim, muito menos um Fla - Flu.

Um comentário:

Katarine disse...

E muito menos uma fase da Copa do Brasil!!!! Vamos pra cima deles!! Vamos fazer a águia voltar para o ninho.